domingo, 28 de junho de 2009

da amargura V

agrupar as horas. categorizá-las racionalmente até que o próximo instante faça sentido. parar frente às memórias como se fosse possível arrancar do tempo o avesso da solidão. e em silêncio, olhos vagos, crer nisso a que chamamos amor.

terça-feira, 2 de junho de 2009

da felicidade IV

tropeçamos, sempre. a queda deveria bastar.