quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

do silêncio I

[madrugada] calculo as horas e mesmo assim o tempo esquece seu único fim – deixar-nos passar. estanco a pele aflorada. cuidadosamente, cicatrizo a lucidez. meu sofrer é uma recusa irreparável.

à carol b.

3 comentários:

ohvarios disse...

É...
EXATAMENTE isso.
Me fazes pensar que poderíamos escrever a quatro mãos com louvor.
Obrigada!

mariab disse...

"cicatrizo a lucidez". perfeito. beijos

Lucius Kod disse...

aki te prefiro, dopado, entregue, alvo errante.